Diário de viagem The Best Portugal no Alentejo

A the Best Portugal trabalha com pessoas e para pessoas, que são completamente diferentes umas das outras e que por isso proporciona tours e experiências diferentes de dia para dia para os nossos visitantes. No entanto existe sempre um dia que podemos considerar mais tipico do que os outros. Neste caso um dia no Alentejo...

Começa a manhã e depois do habitual afã para conhecer novos clientes, quebro o gelo inicial e como sempre sorrisos e autenticidade geram o seu efeito a longo prazo. O bom humor e as perguntas sobre a estadia e os locais onde jantaram ajudam todos os participantes, a descontrair e a deixar-se levar pelo ritmo do passeio que os embala. Em breve são eles que começam a fazer perguntas sobre o país, a sua política, economia, vinho, e comida. A tour de vinhos é agora a tour de todos e já estamos a meio caminho do nosso destino. Tempo para uma paragem para um verdadeiro café português: todos se apercebem então a razão pela qual os Portugueses adoram a sua “bica” forte servida em chávenas pequenas. Continuamos o nosso caminho agora retemperados e desejosos de chegar ao nosso destino que se situa perto da cidade de Estremoz.

Depois de passarmos por uma entrada bordejada com elegantes cedros chegamos à primeira adega. A arquitetura é completamente Alentejana e as pessoas acolhem-nos com grande alegria e entusiasmo. Trata-se de uma adega de uma família que tem tradição centenária na produção de vinho e que esteve na origem duma corporativa bem famosa da região. A entrada não nos deixa dúvidas quando olhamos para as talhas de barro utilizadas de forma pioneira pelos romanos para fazerem e conservarem o seu vinho.

A visita decorre fluentemente com pessoas espantadas por ainda se fazer a pisa a pé das uvas. Explicamos que Portugal nunca deixou os métodos tradicionais embora os tanques de granito para a pisa nesta adega tenham dado lugar a tanques de aço inox com temperatura controlada por um sistema informático.  No entanto a pisa continua a dar-se todos os Setembros e sempre com famílias nativas da região que o fazem com grande alegria e muitas vezes trazendo já para esta festa os seus filhos para ajudar. Depois de passarmos por uma elegante sala de barricas com teto abobadado passamos então à prova de vinhos onde se experimentam desde vinhos de reserva sem madeira até brancos frescos e minerais passando por um novo rosé e terminando com tintos. Nestes últimos figura um reserva de vinhas velhas que faz sorrir de satisfação todos o que o provam. São estes os sorrisos que nos dizem secretamente “por isto já valeu a pena”. Por nós também não fosse o turismo como nós dizemos o sector dos sorrisos.

Depois de uma compra de garrafas aconselhada por nós e pelos guias da adega seguimos para uma visita à Pousada de Estremoz onde temos oportunidade de explicar o conceito de turismo rural glamour destes estabelecimentos. Não partimos antes de apreciar a maravilhosa vista que se disfruta do alto de Castelo de Estremoz com planícies ondulantes, oliveiras, sobreiros e vinhas a perder de vista pontuadas por castelos no horizonte distante. Por último explicamos os eventos e personalidades que marcaram esta cidade histórica tão perto da fronteira com Espanha.

E é aqui que paramos para o descanso dos guerreiros:  precisamente no que antes era uma cadeia quinhentista é onde os nossos visitantes irão almoçar. Com produtos adquiridos a agricultores locais este restaurante apresenta uma cozinha regional Alentejana, de identidade mas com empratamentos sofisticados e num ambiente de requinte informal que todos adoram. Junte-se a proverbial simpatia Alentejana e o toque de ouro das cozinheiras e temos uma refeição onde o problema é querer sair do restaurante…

No entanto temos que continuar e a nossa tour irá terminar de forma memorável com a visita a uma quinta onde primeiro iremos fazer um passeio pelo montado Alentejano num 4×4 e onde teremos tempo para conhecer todo o ciclo da cortiça desde o nascimento da árvore até à extração da cortiça. Só assim poderá dar mais valor à sua rolha de cortiça e ao papel que ela desempenha na preservação e envelhecimento do seu vinho. Depois de respondidas todas as dúvidas iremos passar pelas vinhas da herdade e acabará numa gloriosa prova de vinhos na casa do proprietário onde se deliciará com vinhos e tapas alentejanos e descobrirá porque ambos ligam tão bem.

Depois de uma conserva agradável sobre os vinhos Alentejanos e a história da propriedade terá ocasião de adquirir as suas garrafas preferidas e levar consigo para casa o sol e calor do povo alentejano. No caminho para Lisboa o maravilhoso pôr do sol Alentejano, invade o céu tornando de cores matizadas entre o laranja escuro e o amarelo torrado deixando adivinhar mais um dia glorioso para a sua estadia.

Deixe uma resposta